Conhecer e Crescer

Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil

Terapeuta, grafóloga, especialista em Recursos Humanos. Trabalho com treinamentos e tenho consultório onde realizo atendimento clínico usando técnicas variadas entre elas hipnose, regressão de memória, coaching. Faço um trabalho específico para tímidos, individual e em grupo. Para mais informações deixe recado nos comentários.

sábado, janeiro 13, 2007

Impotência

Homem, por volta de 30 anos, impotente. Nunca teve uma relação sexual. Havia ido a inúmeros médicos, feito diversos tratamentos e não havia nenhum problema orgânico. Os médicos deram como causa o aspecto emocional.
Fizemos regressão a sua infância, adolescência, vida adulta e não foi encontrado nada que pudesse explicar o seu distúrbio.
Ao regredir a outras vidas, o paciente viu-se jovem, casado com uma mulher que amava muito e eram muito felizes. Ela engravidou e no nascimento do primeiro filho teve complicações sérias não se recuperando. No momento de sua morte prometeu-lhe não ter outra mulher na sua vida. Ela seria a única. E cumpriu essa promessa.
Ao ver essa vida e trabalharmos com os conteúdos envolvidos nessa história, livrou-se dessa “promessa”. O paciente ficou curado em 3 meses.

quinta-feira, janeiro 04, 2007

Casos de Tratamento com Regressão


Vou citar alguns casos onde a terapia de regressão foi utilizada, sempre lembrando que é preciso uma avaliação para verificar se esse é o tratamento adequado. Muitas vezes há causas orgânicas, ou é necessário um trabalho conjunto com médicos ou outros especialistas.
É óbvio que as situações não se resolvem assim tão fácilmente como parecem ser nos relatos aqui narrados.
Para conseguir expressar o que ocorreu, houve um resumo e simplificação das situações.
Mesmo quando os problemas são solucionados rapidamente, é necessário um acompanhamento maior para verificar se ele está completamente resolvido ou se apenas alguns aspectos da questão foram solucionados. Muitas vezes há implicações mais profundas que precisam ser acompanhadas de perto.

Síndrome de Pânico



Síndrome de Pânico que surgiu alguns meses após a morte da mãe.
A primeira crise foi quando entrava na área de embarque do metrô.
Associou o pânico a ambientes fechados.
A princípio só tinha crises quando ia ao metro. Depois qualquer local fechado: shopping, ônibus, cinema, elevador.
Fizemos várias regressões a esta e outras vidas. Tinha medo de lembrar certos fatos associados à morte da mãe. Quando ficou mais tranqüilo, confiante, conseguiu lembrar com detalhes do momento em que lhe deram a notícia da morte da sua mãe. Estava na sala de espera de um grande hospital onde a mãe estava hospitalizada há alguns meses. Lembrava de como estava o dia, da roupa que usava, do cheiro do ambiente, com um suave perfume de flores de um bouquet que uma pessoa carregava para presentear alguém, e da musica suave e relaxante que o sistema de som espelhava por todo o andar.
Trabalhamos todos os aspectos associados a este momento, como sentimentos, reações, etc.
Alguns dias depois regredimos ao momento da sua primeira crise de pânico. Lembrou com todos os detalhes...dia, temperatura, roupas, cheiros, luzes e...música! Era a mesma que tocava no momento em que lhe deram a notícia da morte da sua mãe.
O que lhe deu medo não foi o ambiente fechado. Foi a música, suave, quase imperceptível que lhe fez recordar aquele momento de dor que não estava bem elaborado dentro de si.

segunda-feira, janeiro 01, 2007

DÚVIDAS MAIS COMUNS SOBRE TERAPIA DE VIDAS PASSADAS


TERAPIA DE VIVÊNCIAS PASSADAS

Ao se falar em Terapia de Vidas Passadas ou Regressão, surgem diversas questões sobre o assunto e, em geral, as dúvidas são sempre as mesmas.

- Como é que se consegue vivenciar outras vidas ?
Através de um relaxamento profundo, ou hipnose, onde o terapeuta conduz o relaxamento com um tom de voz, em geral, calmo e repetitivo, num ambiente tranqüilo. Mas algumas pessoas conseguem acessar vidas passadas durante o sono ou noutras situações de relaxamento, sozinhas, ou seja, sem auxílio de um terapeuta.

- A Terapia de Vidas Passadas não é perigosa?
Deve-se fazer sempre uma pré-avaliação da pessoa que passará pelo processo com o objetivo de verificar se é o tratamento indicado para o seu caso.
Se for, o estado de profundo relaxamento que a hipnose provoca, traz uma sensação de extremo bem estar resultante da obtenção de um melhor equilíbrio fisiológico. É utilizada não apenas para conhecer vidas passadas mas também para redução do stress, tratamento de fobias, dores crônicas, ansiedade, depressão, doenças psicossomáticas, etc.
Muitos dizem ter medo de perder o controle ao serem hipnotizados, ou ficarem em “poder” do hipnotizador ou não voltarem de outras vidas - nada mais falso . Não é possível ser hipnotizado se não quiser. Toda hipnose é uma auto-hipnose. O hipnotizador só conduz o processo, é um instrumento para auxiliar a obter um relaxamento mais profundo. E deve-se ter em mente que não se vai a local nenhum, se fica sempre no presente, consciente, e se “volta” na hora que quiser.

- Todos conseguem ver suas vidas passadas ?
O seu inconsciente, ou seu eu interno, está sempre no controle, ou seja, você mesmo controla a situação. Dentro de você, há a resposta sobre o que é importante ver ou não, num determinado momento. Muitas vezes o terapeuta, por mais que tente, não consegue fazer com que você regrida. É o seu eu dizendo que não é o momento adequado, ou você não está preparado para ter essa experiência, ou as respostas de que você precisa não estão em outras vidas.

- Como posso ter certeza de que a experiência foi realmente de uma vida passada ?
Esse ponto é muito controverso. Na verdade, certeza absoluta jamais teremos, pelo menos nessa vida... Mas, algumas pessoas pesquisam dados apresentados, como nome de cidades, sua localização, eventos ocorridos em determinadas datas, cartórios com registros de pessoas que viveram em determinada época e muitos casos foram confirmados. Noutros, a pessoa “sente” realmente que está vivendo aquele momento e descobre muitas explicações para sua vida atual.
Mas é bom ressaltar que, para a Terapia de Vidas Passadas, a confirmação do fato pouco importa, o que interessa é analisar os conteúdos que o inconsciente trouxe à tona e como isso pode ajudar na resolução das dificuldades dessa vida, a atual.

- Mas isso não pode ser a nossa imaginação ?
Pode, e algumas vezes isso acontece e noutras os conteúdos são misturados, como nos sonhos, em que vemos imagens de fatos que vivenciamos no dia, símbolos com um significado pessoal, estórias que lemos, cenas de filmes que assistimos e fragmentos de vidas passadas. Na verdade, é muito difícil a história de uma vida passada vir limpa, direta, com início, meio e fim. É como quando fazemos um relato de algo que presenciamos; não descrevemos somente aquilo que observamos, mas também colocamos nosso julgamento, comentários, interpretações, opiniões nossas e de outros. A nossa mente não é fragmentada. O nosso inconsciente guarda diversas impressões, fantasias, memórias, e também sabe o que vai acontecer. Há casos de pessoas que têm projeções, ou seja, vêem o que irá acontecer num futuro próximo ou remoto.

- Nesse caso, a terapia não faz efeito ?
Através da Terapia de Vidas Passadas pretende-se resolver bloqueios, angustias, dificuldades que nos afetam nesta vida. Situações que não foram bem elaboradas noutras vidas e que precisam de ser reexaminadas a nível consciente. Se, para resolver determinado problema, o inconsciente trouxe algo fruto da imaginação ou de outro tipo é porque tais conteúdos são importantes naquele momento. O mais interessante é que os problemas são solucionados, não importando se são vidas passadas ou imaginação. Lembre-se: quem tem o controle do processo é o eu interno.

- Não há perigo de se ficar numa outra vida ?
Não. Em primeiro lugar, porque não “se vai” para outra vida. A pessoa permanece no presente, sabendo onde está, consciente, ouvindo os sons ao seu redor e tem todo o controle de si. Mesmo se o terapeuta saísse da sala e não voltasse, a pessoa em estado de profundo relaxamento permaneceria assim por um certo tempo e retornaria naturalmente, ao seu estado normal, como se estivesse despertando de um cochilo.

- Lembrando de uma situação de outra vida que tenha relação com o problema atual esse se resolve ?
Os conteúdos apresentados devem ser analisados e comentados para se verificar de que forma isso estava bloqueando nossa evolução. Mas, muitas vezes, se a vivência que experimentamos foi a causadora do problema (pode a situação ficar se repetindo em diversas vidas) somente pelo fato de a recordarmos, ou seja, trazermos para a nossa consciência, a solução se concretiza.

- Como é se sentir noutras vidas ?
Essa é uma experiência única e pessoal. Mesmo de sessão para sessão pode haver diferenças. Algumas vezes, a impressão é de que se está tendo um sonho muito real. Noutras, é como se víssemos um filme. Em outras, tudo é tão claro e nítido que chega a espantar. Mas sempre é uma experiência enriquecedora.

- Sempre conseguimos reconhecer nossos parentes e amigos nas pessoas que vemos noutras vidas ?
Não, nem sempre. Alguns reconhecem com certeza absoluta uma ou outra pessoa, vendo-as até com o mesmo rosto da vida presente (o inconsciente quer que a pessoa seja reconhecida sem dúvida alguma), noutras vezes surgem dúvidas e o reconhecimento é feito por uma determinada característica, ou sensação. Muitos não reconhecem ninguém. Mas, pela experiência, sabemos que importa muito pouco reconhecer ou não. O que interessa é o fato em si, a situação da vida que está sendo apresentada.

- Esse tipo de terapia só pode ser utilizado por quem acredita em vidas passadas ?
Qualquer pessoa se beneficia com a terapia, desde que ela seja indicada para o seu caso. Quando não há a crença em reencarnação o processo é conduzido da mesma forma, e o cliente pode considerar os fatos que lhe vem à mente como conteúdos do seu inconsciente, fantasias, imaginação, não importa, o resultado é o mesmo.

- Por que utilizar a técnica de vidas passadas se o problema está nessa presente ?
Segundo os espiritualistas, reencarnamos para aprender, crescer, aprimorarmo-nos. Muitas vezes, ficamos repetindo certas situações que nos trazem problemas pelo simples fato de não saber como sair delas, desconhecendo aquilo que é preciso aprender. Ao regredir a outras vidas, fica mais fácil entender o porquê de certas situações. Muitas vezes, estamos tão presos aos sofrimentos dessa vida que nem conseguimos olhar para nosso problema de forma objetiva. Ao investigar outra vida, em que tenhamos passado por uma situação semelhante, tudo se torna mais fácil pois o sofrimento já passou, foi noutra vida, e se consegue analisar o fato mais objetivamente, aprendendo com ele.

Marcadores: , , , ,

GRAFOLOGIA


- GRAFOLOGIA -
ESCREVENDO SOBRE O SEU EU

Atualmente a Grafologia está sendo considerada uma ferramenta muito útil em várias áreas.
Através dessas perguntas, procuramos esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o assunto.

1- O que é Grafologia?
É o estudo de várias características do indivíduo através da sua escrita.

2- Quais as características possíveis de identificação pela Grafologia ?
Pela Grafologia é possível identificar: tipo de raciocínio, cultura, capacidade de observação, atenção, memória, organização, adaptação, flexibilidade, criatividade, relacionamento, capacidade de liderança, atividade, vontade, reação frente a obstáculos, caráter, sensibilidade, emotividade, temperamento, dinamismo, grau de dependência ou independência, honestidade, franqueza, reações em casos de conflito, capacidade de decisão, susceptibilidade, relações com o dinheiro, sentido de economia.
Também podemos verificar alguns transtornos orgânicos como: problemas circulatórios, respiratórios, úlceras, cálculos de vesícula, uso de álcool ou drogas, estados depressivos, estres, neuroses, problemas de visão.

3- Como surgiu a Grafologia ?
A verdadeira origem da Grafologia se perde no tempo.
Alguns falam que os chineses, há milhares de anos, já a estudavam.
Outros dizem que foi com Aristóteles e o historiador romano Suetonio.
Mas, o primeiro livro conhecido sobre o assunto é de 1622, "Como Reconhecer o Caráter e os Atributos de uma Pessoa Através de um Documento Escrito”, de Camillo Baldo, um médico italiano, professor da Universidade de Bolonha que estabeleceu uma primeira normatização sobre o assunto.
No final do século XIX, o abade francês Jean-Hippolyte Michon publicou o livro “Les mystères de l’écriture” onde surgiu o estudo mais científico da grafologia, termo este criado por ele.
Crépieux-Jamin (1858-1940) é considerado o responsável pela grafologia moderna, levando o rigor científico ao seu estudo.
Muitas escolas de grafologia surgiram em várias partes do mundo como Alemanha, Espanha, Suíça, Estados Unidos, mas o berço da grafologia está na Itália e na França

4- E a Grafologia no Brasil, como surgiu?
O primeiro trabalho científico sobre grafologia no Brasil é de 1900, “A Grafologia em Medicina Legal” feito pelo médico baiano, Dr. José Antonio de Gouveia Costa-Pinto, como tese de doutorado aprovada com distinção na Faculdade de Medicina e Farmácia da Bahia.
No final dos anos cinquenta é que surgem outras publicações sobre o assunto, no Brasil, entre elas os estudos de Arthur Sab, Betina Katzenstein-Schoenfeldt, Edson Bellintani, Cacilda Cuba dos Santos e Odette Serpa Loevy

5- Quais são as áreas em que a Grafologia pode ser utilizada ?
Seu campo de utilização é muito grande, porém as áreas onde é mais utilizada são:
área psicológica e terapêutica; área médica; área empresarial; área educacional; área judicial.

6-- Como é utilizada na área terapêutica ?
A identificação das características da pessoa, agiliza o trabalho do psicólogo ou qualquer outro terapeuta que necessite desses conhecimentos, auxiliando na identificação das áreas de conflito, verificando a melhor forma de conduzir o processo.

7- Como é utilizada na área médica ?
Muitos problemas de saúde são identificados pela escrita, algumas vezes até antes de surgirem os sintomas. Dessa forma, um médico pode solicitar exames específicos para comprovar a doença.
Também é muito utilizada para acompanhar a evolução da recuperação de pacientes, principalmente após cirurgias.

8- E na área empresarial ?
É onde é mais utilizada no Brasil.
Utiliza-se na seleção de pessoal, avaliação de desempenho, orientação de carreiras, promoções, entre outras.

9- E sua utilização da área educacional ?
Muito útil para identificar a origem de problemas emocionais na criança ou adolescente; auxilia a verificar as causas das dificuldades de aprendizagem e também em orientação vocacional.

10- Como a Grafologia é utilizada na área judicial ?
Na identificação da legitimidade de letras e assinaturas; falsificações; tipo psicológico de criminosos e muitas vezes até de suas características físicas.

11- Qual a vantagem da Grafologia sobre outros testes ?
Sua vantagem está na simplicidade de sua aplicação e sua rapidez (basta a pessoa escrever algo numa folha em branco) e na abrangência de seus resultados (um teste apenas para identificar várias características).

12- Como é feito o teste ?
Solicita-se que a pessoa escreva algo em letra corrente, com caneta ou lápis, numa folha de papel sem pauta, com o mínimo de 20 linhas.

13- É possível fazer essa avaliação a partir de um outro documento qualquer, como uma carta, um caderno escolar, um cartão de felicitações ?
Sim, a avaliação pode ser feita a partir de qualquer material que contenha a escrita de uma pessoa, porém não é o ideal, já que há vários fatores que podem interferir na escrita como por exemplo, local onde foi escrito (numa mesa, num veículo em movimento,
sobre uma almofada), rapidez (a pessoa quando escreveu estava com pressa ou nervosa), problemas de visão (estava sem óculos ou num ambiente escuro), entre outros.
Nesses casos, solicita-se então, o maior numero possível de documentos escritos pela mesma pessoa. Mas o correto seria seguir as normas pré estabelecidas, num local adequado, próprio para o objetivo da avaliação.

14- O que é analisado na escrita ?
Basicamente são analisadas a ordem da escrita, as margens, o tamanho das letras, sua inclinação, a direção das linhas, a pressão dos traços, a rapidez, a forma, entre outros detalhes mais específicos. Na verdade, todo os traços e movimentos feitos são avaliados.

15- Como se tornar um grafólogo ?
No exterior, os cursos de Grafologia são quase todos feitos em universidades, com duração de até 5 anos . No Brasil já existem alguns em nível de pós-graduação, e muitos cursos livres oferecidos por profissionais autodidatas ou que estudaram no exterior. Mas é necessário ter cuidado pois há muitas pessoas despreparadas exercendo a profissão ou ministrando cursos, visto que não há nenhum órgão regulador oficial da profissão no Brasil .

Informações Adicionais:

Os nossos cursos são dados no Rio de Janeiro.
Infelizmente não sei de nenhum curso de grafologia à distância, mas é possível mais informações com a Associação Brasileira de Grafologia, em SP  - http://www.sobrag.com.br inclusive sobre endereços de outros cursos presenciais.


Comunico que não temos previsão de novos cursos de Grafologia ministrados por mim.

Agradeço o interesse mas estou sem tempo disponível. 


Obrigada. 

Zelia Grillo

Assuntos variados sobre Terapias, Relacionamentos, Recursos Humanos, Hipnose, Regressão, Grafologia.
Um local para conhecer, perguntar, trocar, crescer.