Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil

Terapeuta, grafóloga, especialista em Recursos Humanos. Trabalho com treinamentos e tenho consultório onde realizo atendimento clínico usando técnicas variadas entre elas hipnose, regressão de memória, coaching. Faço um trabalho específico para tímidos, individual e em grupo. Para mais informações deixe recado nos comentários.

quinta-feira, julho 02, 2009

HIPNOSE


A teoria da hipnose serve de base para muitos tratamentos ou técnicas de autoconhecimento como: Pensamento Positivo, Programação Neurolinguística, Controle Mental, Reprogramação Celular, etc.
As experiências com a hipnose existem desde a mais remota antiguidade. Na Caldéia, Índia e Egito faziam parte de uma ciência experimental, considerada secreta, à qual só tinham acesso castas privilegiadas. Com o passar do tempo, os fenômenos psíquicos, que eram considerados sobrenaturais, passaram a ser vistos sob a luz da razão, e estudados como poderes exercidos pelo próprio homem. No entanto, hoje em dia, parece que voltamos atrás, e muitos consideram a hipnose como algo mágico, até se surpreendendo pela forma como é realizada ou julgando que não foram "realmente" hipnotizados. Isso porque, atualmente, não é tão comum utilizar-se a hipnose inconsciente, ou seja, a pessoa parece que adormece e não recorda o que aconteceu ao voltar ao seu estado normal. Hoje, a hipnose é realizada com a pessoa totalmente consciente, sabendo tudo que está acontecendo ao seu redor.
Mas afinal, o que é, e como funciona a hipnose ?
Várias teorias foram e são apresentadas, mas nenhuma foi considerada exata, ou totalmente aceita. E se entende a razão, estamos tentando definir um fenômeno do cérebro, este órgão sobre o qual, somente muito recentemente estamos conseguindo conhecer mais detalhadamente. Mas sabemos como utilizar esta energia e como fazer para acessá-la.
Existem variadas técnicas para se alterar o estado normal da consciência e obter-se o nível ideal de transe. A mais utilizada é o relaxamento profundo e a concentração da mente.
Muitos se assustam com certos termos empregados como "transe", "concentração", mas quem está sempre no comando é o próprio indivíduo. Ninguém, por melhor que seja, consegue hipnotizar quem não deseja ou não se permite ser hipnotizado. Na verdade, o hipnotizador apenas orienta o trabalho que é realizado pela própria pessoa.
A hipnose, nada mais é do que um estado de consentimento. E aí, entramos num outro ponto de dúvida, para muitas pessoas - quem pode ser hipnotizado ?
Qualquer um, que realmente o quiser. A convicção de que aquilo vai lhe fazer bem, tem um papel importante no resultado da terapia.
A experiência e preparo do hipnoterapeuta ajudarão na aplicação da técnica mais adequada para atingir o estado ideal, dependendo do tipo de personalidade de cada paciente, bem como a análise do momento que está atravessando e seu estado emocional.
Utiliza-se a hipnose na medicina, para aliviar dores, curar doenças de fundo emocional, atenuar efeitos colaterais de medicamentos ou tratamentos, e até como anestésico, em alguns casos, de pacientes que, por alguma razão, não podem utilizar anestesia. Em tratamentos odontológicos, tem se mostrado muito eficaz, relaxando, tirando a tensão e, em muitas vezes, abolindo a necessidade de anestesias.
Para estudantes, é excelente na memorização de conteúdos, aumento da capacidade de concentração e alívio do nervosismo na hora de provas.
Em casos de distúrbios psicológicos como fobias, pânico, depressão, manias, compulsões (inclusive por comida), traumas, as respostas são surpreendentes.
Auxilia muito em períodos de transição como menopausa, maternidade, adolescência, separações, enfim, mudanças de vida.
Está sendo usada cada vez mais para casos de vícios, sejam eles por drogas, fumo, jogo, comida, bebida ou qualquer outro.
Deve-se ter em mente que a hipnose, não substitui os procedimentos médicos ou terapêuticos, mas pode ser um complemento muito útil.
É importante que o hipnoterapeuta saiba seus limites e faça a orientação adequada ao paciente, para o tratamento mais eficaz.
O esclarecimento de todas as dúvidas sobre a hipnose, a empatia com o terapeuta, a orientação sobre o tipo de terapia que deve ser empregada, dependendo da análise de cada caso e da formação do hipnoterapeuta, serão fatores básicos para o sucesso de qualquer tratamento.
Zélia Grillo - terapeuta, hipnóloga, grafóloga (se quiser copiar, por favor, dê o crédito)

Marcadores: , , , , , , , , , , , ,

Links to this post:

Criar um link

<< Home