Minha foto
Nome:
Local: Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil

Terapeuta, grafóloga, especialista em Recursos Humanos. Trabalho com treinamentos e tenho consultório onde realizo atendimento clínico usando técnicas variadas entre elas hipnose, regressão de memória, coaching. Faço um trabalho específico para tímidos, individual e em grupo. Para mais informações deixe recado nos comentários.

terça-feira, setembro 27, 2011

DEPRESSÃO NA TERCEIRA IDADE

Publicado em: 30/06/2009   
Autor: Núcleo Educacional Científico

Depressão atinge quase 15% da população idosa

Muitas pessoas atribuem ao processo natural de envelhecimento os problemas com a memória, alterações no sono e no apetite, além de dificuldades de atenção e concentração. Em muitos casos, porém, eles podem ser indícios de um mal que atinge quase 15% da população idosa: a depressão. “Trata-se de um dos problemas mais comuns em idosos, sendo provavelmente a causa mais frequente de sofrimento emocional e queda na qualidade de vida nesta fase”, afirma Graziela Lanzara, coordenadora médica do Programa de Gestão de Doenças Crônicas do Fleury.
A depressão não é facilmente percebida pelas pessoas que convivem com o idoso porque os sinais do transtorno, quando ocorre na terceira idade, são muito diferentes dos apresentados pela população mais jovem, explica Graziela. “Há um predomínio de sintomas como diminuição do sono, perda de prazer nas atividades habituais, ‘ruminações’ sobre o passado, hipocondria, baixa auto-estima e queixa de perda de energia, em detrimento dos sintomas emocionais como tristeza ou angústia – indícios que marcam o quadro depressivo em pessoas mais jovens.”
As mudanças nos papéis sociais, como a aposentadoria, por exemplo, que frequentemente ocasionam a diminuição da autoestima, do ritmo das atividades e do interesse pelo dia-a-dia, podem levar até mesmo uma pessoa que nunca sofreu deste problema ao longo da vida a desenvolver depressão na terceira idade. “A perda de pessoas próximas, como cônjuge ou amigos, e a percepção do declínio nas capacidades física e mental, tal como a perda de memória, também podem precipitar um quadro depressivo”, explica Graziela Lanzara, ressaltando que o problema é mais comum entre mulheres e pessoas com doenças preexistentes.
Apesar de comum nos idosos, a depressão não pode ser encarada como algo irremediável. Trata-se de uma doença que pode e deve ser controlada, afirma a médica do Fleury. “O tratamento pode envolver psicoterapia e medicações antidepressivas, tendo por finalidade reduzir o sofrimento causado por esta condição e garantir uma melhor qualidade de vida ao idoso.”
Antes de necessitar ser tratada, a depressão na terceira idade pode ser prevenida – e com atitudes muito simples. Por ter uma relação direta com os relacionamentos sociais, essa condição depende do apoio que o idoso recebe das relações sociais. “Uma forte rede de amigos e de familiares e a participação em atividades sociais que dêem prazer e tragam contato com outras pessoas são fundamentais na manutenção da saúde mental na terceira idade”, explica Graziela.
Há também uma associação crucial entre saúde física e depressão nesta fase da vida. Segundo Graziela, é importante manter atividade física regular e dieta equilibrada, ações que evitam ou minimizam o aparecimento de doenças – fator que também influencia no desencadeamento do transtorno no idoso. “Prevenir a depressão na terceira idade é sinônimo de fugir da solidão, evitar o isolamento social e manter hábitos de vida saudáveis”, resume a médica do Fleury.

Fonte: Graziela Lanzara, coordenadora médica do Programa de Gestão de Doenças Crônicas do Fleury.
Este material foi elaborado pelo Fleury, tendo caráter meramente informativo. Não deve ser utilizado para realizar autodiagnóstico ou automedicação. Em caso de dúvidas, consulte seu médico.




Marcadores: , , , , ,

1 Comments:

Blogger Cantinho do Girassol Atelier de Arte e Marcenaria said...

Zelia, muito interessante este artigo. Tenho muitas alunas que quando se aposentaram procuraram uma forma de terapia através do artesanato. E criaram um vínculo tão grande com a turma que mesmo depois de aprenderem, continuam nos encontros semanais. Tem dias que até nem pintamos só o encontro já nos basta... É muito bom isso e uma ferramenta importante contra a depressão. Adorei o blog! Com certeza, vou compartilhar e voltar mais vezes! Bjus!

12:14 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home